Perfil da mobilidade mundial e COVID-19

Empregando as informações disponibilizadas gratuitamente pela plataforma Google Mobility, através do projeto COVID-19 Community Mobility é possível identificar o perfil de mobilidade da população a frequência e o tempo de permanência em diferentes áreas e serviços (parques, residências, supermercados, local de trabalho, etc.). Estas informações são de extrema importância, pois possibilitam identificar os hábitos de mobilidade populacional durante o período de quarentena e auxiliar nas tomadas de decisões por parte dos gestores públicos.

Estão sendo criados gráficos e mapas para mostrar a variação percentual do tempo médio de deslocamento, frequência e permanência da população durante a pandemia em relação ao período de referência (entre 3 de janeiro e 3 de fevereiro, 2020). Estes gráficos e mapas dinâmicos são atualizados frequentemente e estão divididos nas seguintes categorias:

  • Transporte (estações de trem, metrô, ônibus, carro, e outras formas de mobilidade);
  • Local de trabalho (local habitual onde o individuo exerce suas atividades de trabalho);
  • Parques e praias (praias públicas, parques públicos, marinas, lagoas, praças, jardins públicos, etc.);
  • Mercados e farmácias (hipermercados, supermercados, minimercados, padarias, açougues, etc.);
  • Lazer e entretenimento (restaurantes, cafés, shoppings, museus, cinemas, teatros, etc.);
  • Residência.

Análise da mobilidade da população do Rio Grande do Sul e da cidade de Nova Iorque, NY e Buenos Aires.

Comparação da mobilidade da população do Rio Grande do Sul e as cidade de Nova Iorque (NY) e Buenos Aires (BA). Nova iorquinos e os porteños estão respeitando mais a quarentena que os gaúchos. Até agora o dia de menor mobilidade no RS foi no dia 10/04, Sexta-feira Santa!

Algumas constatações interessantes:

  • Em Nova Iorque e BA o uso dos meios de transporte apresenta uma redução de cerca de 80% desde a última semana de março e este valor mantem-se estável. No Rio Grande do Sul este valor oscila perto de 60%.
  • Os Nova iorquinos desde a última semana de março reduziram em 80% a suas presenças nos centros de lazer (restaurantes, cafés, shoppings, museus, cinemas, teatros, etc.). No RS este valor chegou próximo de 80% no final de março, mas vem diminuindo. Em Buenos Aires a presença nos centros de lazer é maior que 90%!
  • Em BA e Nova Iorque a presença nos locais de trabalho é no mínimo 80% menor em relação ao período de referência. Curiosamente em NY cresce (pouco) aos finais de semana! No RS o menor valor ocorreu em 25 de março (~60%) mas parece que a população está retornando ao trabalho desde então.
  • Em NY e BA o isolamento social está sendo respeitado.
  • Diferentemente no Rio Grande do Sul o isolamento social vem diminuindo desde o final de março.

Perfil de mobilidade para os diferentes estados brasileiros e Distrito Federal.

Informações e sugestões: Prof. Rafael Haag, rafael-haag@uergs.edu.brLaboratório de Estudos Avançados Multidisciplinares - LEAMNúcleo Temático: Tecnologias Sustentáveis
Referências:
Google COVID-19 Community Mobility Reports: Anonymization Process Description (version 1.0), https://arxiv.org/abs/2004.04145
Unifying Viral Genetics and Human Transportation Data to Predict the Global Transmission Dynamics of Human Influenza H3N2, Philippe Lemey, et al., https://journals.plos.org/plospathogens/article?id=10.1371/journal.ppat.1003932
A global map of travel time to cities to assess inequalities in accessibility in 2015. Weiss DJ et al. Nature. 2018 Jan 18;553(7688):333-336. doi: 10.1038/nature25181. Epub 2018 Jan 10. https://www.nature.com/articles/nature25181